ALIANÇA GLOBAL DE CATADORES
ALIANÇA GLOBAL DE
CATADORES
A Aliança Global de Catadores é um processo de articulação entre milhares de organizações de catadores de materiais recicláveis apoiado pela WIEGO em mais de 28 países cobrindo principalmente América Latina, Ásia e África.
Apoiado por Logo WIEGO

publicado por
Escrito por Taylor Cass Stevenson

Região

País Butão

Setembro 27, 2016

Traduzido por Tatianna Silva


Verifique a tradução:

waste-collection-in-Dewathang-samdrup-jongkhar-district

Habitado por menos de um milhão de pessoas, o país himalaio do Butão é umas economias que crescem mais rápido no mundo, o que vem ocasionando um crescimento dramático na produção de lixo. A maioria dos habitantes de Butão vive em vilas, onde o lixo – inclusive reciclável – é queimado ou jogado em poços ou despenhadeiros. Em um país de altas montanhas, vilarejos distantes e isolados, e estradas pedregosas, como é o caso do Butão, o transporte de materiais é demorado e custoso. Carrinhos de mão são compreensivelmente proibidos nas estradas estreitas e sinuosas do país, o que restringe a atuação dos catadores informais de recicláveis às cidades ao longo da fronteira sul do Butão com a Índia ou aos seus poucos centros urbanos que são suficientemente grandes para abrigar atravessadores. Em alguns casos, compradores itinerantes de materiais recicláveis viajam ao redor das zonas rurais comprando material para vender na Índia. Geralmente, no entanto, é economicamente inviável transportar recicláveis por horas ou dias, normalmente em um veículo alugado, para vender na fronteira com a Índia.

Coletar materiais suficientes é um desafio, então Tshering Dorji desenvolveu parcerias com escolas e vilarejos próximos, para comprar recicláveis pela metade do preço de revenda. Ele também compra garrafas do únido morador de rua de seu vilarejo, que sobrevive como um catador informal graças ao negócio de reciclagem de Tshering. Tshering compra garrafas por aproximadamente 7 ngultrum (o equivalente a 10 centavos de dólar ou 30 centavos de Real) por kg, e posteriormente revende estas garrafas na cidade fronteiriça de Phuentsholing, que fica a 1-2 dias de carro de Trashiyangtse, dependendo das condições da estrada. Bloqueios de rodovias são comuns e, uma vez que Tshering alcance a fronteira sudeste do Butão com a Índia, greves no estado indiano de Assam podem bloquear as estradas por dias. No entanto, o problema principal de transporte são os custos. Accesse o artigo completo (em inglês).

Este artigo também está disponível em Inglês Espanhol Francês