GLOBAL ALLIANCE OF WASTE PICKERS
GLOBAL ALLIANCE OF
WASTE PICKERS
A Aliança Global de Catadores é um processo de articulação entre milhares de organizações de catadores de materiais recicláveis apoiado pela WIEGO em mais de 28 países cobrindo principalmente América Latina, Ásia e África.
Apoiado por Logo WIEGO

por

Região

outubro 04, 2012


Verifique a tradução:

Estas informações foram compiladas a partir dos boletins informativos  de maio e de agosto da Aliança de Catadores Indianos:

A Consulta de Órgãos Locais Urbanos na Integração de catadores na Gestão de Resíduos Sólidos

Pune, Índia, 24 a 25 de abril de 2012

Poornima Chikarmane, with AIW, speaks at the ULB event.

Organizada pela Aliança de Catadores Indianos, essa consulta teve como objetivo promover e exibir modelos eficazes e inclusivos de gestão de resíduos sólidos e encorajar os órgãos urbanos locais a adotá-los. Representantes de 17 governos locais indianos, além de representantes do governo e órgãos urbanos locais da Indonésia e do Nepal participaram. Os participantes discutiram as iniciativas locais para a gestão de resíduos sólidos e as políticas para a integração dos catadores. A consulta incluiu uma visita a municípios locais para observar o trabalho da SWaCH em prática.

2ª Convenção Nacional da Aliança de Catadores Indianos

Pune, Índia, 24 a 26 de abril de 2012

Waste pickers from across India and from around the world participate in the National Convention.

Cerca de 300 catadores de 20 cidades, representando 29 organizações, participaram. Os catadores locais de Pune e os delegados catadores de mais de 20 países que haviam chegado a Pune para o Workshop Estratégico Global juntaram-se a eles. Algumas das principais questões que surgiram na convenção incluíram a privatização, incineração e a dificuldade de fazer com que os cidadãos paguem taxas mensais, já que em várias cidades, a coleta de resíduos é vista como uma obrigação de casta, e não um serviço profissional. A AIW (Aliança de Catadores Indianos) discutiu planos para o próximo ano, que incluem campanhas contra o trabalho infantil, para o registro de catadores e aposentadorias.

Exigência de direito à aposentadoria para trabalhadores informais

Pune, Déli e Bangalore, na Índia, durante 2012

Members of civil society demand pension rights in Delhi, India.

Membros da sociedade civil exigem direito à aposentadoria em Déli, na Índia.

Desde o início do ano, os trabalhadores informais da Índia vêm se unindo para lutar pelo direito à aposentadoria. Muito do crescimento indiano vem da economia informal. É necessário compensar esses trabalhadores quando eles não puderem mais trabalhar. O Pension Parishad, realizado em Pune, na Índia, em fevereiro, teve a presença de catadores, motoristas de riquixás, trabalhadores domésticos, trabalhadores de construções e outros do setor informal. Depois, de 7 a 11 de maio, 3 mil trabalhadores pobres – idosos, em sua maioria – de todas as partes da Índia, se reuniram em Déli para exigir o direito à aposentadoria. Foram realizadas audições públicas e discussões sobre grupos vulneráveis que não têm apoio, como grupos tribais, profissionais do sexo, a comunidade de transgêneros e portadores de HIV.

A luta contra a incineração – atualização do All India Kabari Mazdoor Mahasangh (AIKMM)

Déli, Índia, 24 de março de 2012

All India Kabari Mazdoor Mahasangh at the protest against the Ghazipur incinerator. Credit: AIKMM

All India Kabari Mazdoor Mahasangh no protesto contra o incinerador de Ghazipur. Fonte: AIKMM

A GAIC (Comissão Anti-Incinerador de Ghazipur) organizou uma audição de cidadãos sobre o incinerador de transformação de resíduos em energia em construção em Ghazipur, uma área densamente povoada próxima a Déli. Sob a liderança de residentes e catadores locais, mais de 300 pessoas se reuniram para exibir uma interrupção imediata dos trabalhos sendo realizados no incinerador. Outro protesto ocorreu em 29 de agosto. Os participantes começaram em Raj Ghat e marcharam à Secretaria de Déli.

Campanha da KKPKP contra o trabalho infantil

Índia
Em andamento

Independentemente do quão difícil está a situação familiar, as crianças devem ficar na escola, e não nas ruas coletando materiais. Essa tem sido a posição assumida pela Kagad Kach Patra Kashtakari Panchayat (KKPKP) desde sua criação em 1995, quando uma pesquisa revelou que o número de crianças trabalhando como catadoras em Pune era alto e que mais da metade de seus pais – também catadores – eram membros, ou membros em potencial, da KKPKP. A KKPKP espera trabalhar com órgãos do governo para implantar a legislação já existente e usar os fundos concedidos para oferecer o apoio e o monitoramento necessários para garantir que as crianças permaneçam nas escolas, e não nas ruas. Finalmente, deve haver um distanciamento da tendência atual de “punir os transgressores” sem lidar com os fatores que contribuem para tais transgressões. Em 23 de abril, na véspera do Dia Contra o Trabalho Infantil, a KKPKP realizou um evento que lançou uma campanha renovada contra tal tipo de trabalho. No evento, os filhos em idade de cursar o ensino secundário de 460 membros receberam bolsas de estudo.

Os catadores indianos defendem suas idéias na Europa: eliminação Total de Resíduos e Padrões Duplos

Bruxelas, Bélgica e Espanha
Maio de 2012

Indian waste pickers stated their case in Europe.

Catadores indianos defendem suas idéias na Europa. Fonte: GAIA

Duas importantes reuniões internacionais que podem afetar políticas relacionadas aos catadores indianos foram realizadas em maio de 2012. Os representantes da SWaCH, da Corporação Municipal de Pune e da Aliança Global para Alternativas a Incineradores (GAIA) apresentaram os pontos de vista dos catadores indianos no Congresso da Eliminação Total de Resíduos, realizada na Espanha, e no lançamento do Relatório de Padrões Duplos da UE, realizado no Parlamento Europeu, em Bruxelas. Os delegados apresentaram um bom argumento a favor de modelos de gestão de resíduos mais centrados em pessoas e com menos foco no capital, com uma ênfase maior na reciclagem, em vez da incineração.

A conversa sobre “padrões duplos” no Parlamento Europeu em Bruxelas teve como objetivo fazer um apelo para que os membros do Parlamento encorajem os estados-membros a interromper a compra de créditos de carbono gerados por projetos de gás de aterros e incineradores patrocinados por Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL) da Índia e da China. Esses projetos têm um impacto adverso sobre o meio ambiente e o sustento dos catadores e, ainda assim, estão recebendo subsídios injustificados sob o pretexto de redução de emissões.

“Rejeitamos esse futuro!”: Rio+20

por Jyoti Mhapsekar, Stree Mukti Sanghatana

aiw march

Aliança Indiana de Catadores presente na Marcha dos Povos.

Sushila Sable, Kalpana Andhare e Jyoti Mhapsekar representaram a Aliança de Catadores Indianos (AIW) na Rio+20, a Conferência da Terra, em junho de 2012 no Rio de Janeiro, Brasil. A conferência teve como foco as perspectivas das populações acerca da proteção ambiental, no contexto da prosperidade econômica e da inclusão/exclusão dos marginalizados. Leia o restante do artigo de Jyoti acerca da experiência da Aliança de Catadores Indianos na Rio+20 e na Cúpula dos Povos.

Outras atualizações da Índia incluem a participação da KKPKP e da SWACH na Lei do Direito à Educação (RTE), que garante educação gratuita e obrigatória. Além disso, leia também acerca das roupas V-Collect, um esforço que ajuda a dar aos pobres de áreas urbanas acesso a roupas utilizáveis e boas em um momento no qual as lojas do varejo ficam cada vez mais caras.

Leia sobre como o Chintan garantiu que não fossem criadas barreiras para o setor informal, que desempenha um papel significativo na reciclagem de resíduos eletrônicos através de catadores itinerantes e manipuladores de resíduos eletrônicos, e como a organização tem o objetivo de fornecer ao menos cem empregos ecológicos no primeiro ano, para que possam trabalhar de acordo com as Regras de Resíduos Eletrônicos (Gestão e Manuseio) de 2011.

U-ID cards for waste pickers: O governo indiano tomou a iniciativa de fornecer identificação a todos os indianos por meio de cartões de número de identificação única (U-ID). A Safai Sena está auxiliando seus membros a obter esses cartões, já que a falta de documentos formais faz com que catadores e kabaris sejam perturbados com frequência.