ALIANÇA GLOBAL DE CATADORES
ALIANÇA GLOBAL DE
CATADORES
A Aliança Global de Catadores é um processo de articulação entre milhares de organizações de catadores de materiais recicláveis apoiado pela WIEGO em mais de 28 países cobrindo principalmente América Latina, Ásia e África.
Apoiado por Logo WIEGO

por

outubro 04, 2012


Verifique a tradução:

por Leslie Vryenhoek

De 27 a 29 de abril, catadores de materiais recicláveis da Ásia, África, América Latina e Europa participaram do Workshop Estratégico Global em Pune, na Índia. Esse workshop foi realizado pela KKPKP, um sindicato de catadores de materiais recicláveis de Pune, e a SWaCH em nome da Aliança Global de Catadores, com apoio da WIEGO e do projeto Cidades Inclusivas.

Os representantes que participaram vieram de organizações de catadores de materiais recicláveis de toda a Índia e da Argentina, Bangladesh, Bolívia, Brasil, Chile, China, Colômbia, Equador, Egito, Gana, Indonésia, Madagascar, Mali, Nepal, Holanda, Peru, Senegal, Sérvia, África do Sul, Filipinas e Uruguai (uma lista completa dos participantes pode ser encontrada relatório, disponível on-line).

Os objetivos do workshop foram:

  1. desenvolver um entendimento comum em diferentes continentes acerca de termos e conceitos como integração e inclusão, regulamentado e formal, parceria pública, privada e público-privada, etc.
  2. compartilhar detalhes e análises de modelos de Gestão de Resíduos Sólidos, incluindo logística, gênese, cargos e responsabilidades, receita, realidades técnicas e políticas, e vantagens/desvantagens de diversos modelos
  3. discutir ameaças e tendências globais atuais e emergentes no que se refere a modelos que excluem catadores de materiais recicláveis, incluindo o exame da gênese e das razões/lógica de tais tendências e os argumentos contra elas
  4. examinar políticas e disposições legais que permitem modelos inclusivos ou exclusivos de GRS
  5. explorar os esforços de “advocacy” reais ou potenciais capazes de permitir modelos inclusivos e garantir sua sustentabilidade

O workshop ofereceu aos catadores participantes a chance de compartilhar suas realidades, seus desafios e suas soluções, e de formular novas idéias. Além disso, aliados e apoiadores da WIEGO, GAIA, WASTE e MIT marcaram presença no workshop para facilitar e aprender com as discussões. Gastou-se um tempo considerável descrevendo e discutindo diversos modelos de inclusão, assim como o que funciona em diferentes cenários. Simultaneamente ao workshop, foram realizadas entrevistas com alguns participantes de diferentes regiões, e estão sendo desenvolvidos alguns estudos de caso ou análises de como resíduos são tratados em suas localidades. Eles estarão disponíveis em breve.

Ao explorar ameaças aos seus meios de sustento, os catadores descobriram semelhanças significativas e determinaram que as maiores ameaças em todos os continentes são a privatização do acesso aos resíduos (e a mudança relacionada de sistemas de descarte final de dejetos para esquemas de incineração e transformação de dejetos em energia) e a corrupção no governo. A necessidade de intermediários, em vez da venda direta à indústria, a queda nos preços e uma falta de equipamentos e espaços adequados para a realização do trabalho também foram identificadas como desafios. A discussão sobre as soluções teve como foco a necessidade dos catadores de serem reconhecidos e incluídos em sistemas de gestão de resíduos sólidos. Para tanto, eles precisam de organizações sólidas e democráticas, relações melhoradas – especialmente com órgãos municipais, pesquisas adequadas (por exemplo, valores financeiros) para ajudar o desenvolvimento de argumentos em prol da inclusão, e mais visibilidade para o importante trabalho realizado pelos catadores. Como costuma ser o caso, algumas das conversas mais importantes ocorreram extra-oficialmente, enquanto os catadores de diferentes lugares falaram sobre suas realidades, compartilharam seu conhecimento e desenvolveram laços.

O produto mais claro do workshop foi a necessidade de maior comunicação e compartilhamento de conhecimento em um nível global e entre grupos locais, para que os catadores possam se beneficiar das experiências e soluções criativas mútuas e, ao mesmo tempo, criem um sentimento internacional de solidariedade. At the concluding meeting of the Global Alliance of Waste Pickers to determine future directions, a clear definition emerged of the alliance as a knowledge base and tool for facilitating the integration of waste pickers in a profession recognized as vital worldwide. However, it was stressed that while the Global Alliance should serve as a uniting force, the focal point for advocacy and action will continue to be the local, national and regional organizations.‑{}‑

Para informações adicionais:

Informações sobre o workshop e as organizações participantes também podem ser encontradas no informativo de maio de 2012 da Aliança de Catadores Indianos (AIW).

Fazer o download desse relatório (em inglês).

Esse relatório em narrativa foi desenvolvido por Leslie Vryenhoek (WIEGO), e revisado e editado por Chris Bonner, Federico DeMaria, Lucia Fernandez e Laxmi Narayan. Design de Pablo Rey Mazón.