ALIANÇA GLOBAL DE  CATADORES
ALIANÇA GLOBAL DE
CATADORES
A Aliança Global de Catadores é um processo de articulação entre milhares de organizações de catadores de materiais recicláveis apoiado pela WIEGO em mais de 28 países cobrindo principalmente América Latina, Ásia e África.
Apoiado por Logo WIEGO

publicado por
Escrito por Safai Sena

Região

agosto 29, 2013


Verifique a tradução:
08/08/2013

safai sena logo

A catação de materiais recicláveis constitui-se de uma oportunidade econômica, ainda que limitada, a qual garante um salário precário para Manwara Begum e a sua família. Uma oportunidade para pagar suas despesas básicas e contribuir para um futuro melhor e mais seguro aos seus filhos. Manwara, uma catadora, tem vivido em Delhi desde a sua infância. Ela escolheu esse trabalho para complementar a renda do marido, que também é catador. Recentemente, o sonho de Manwara foi posto em cheque, quando seus filhos, inocentes, foram acusados de um roubo que ocorreu numa área próxima de onde vivem. Ela não sabia que o fato de ela ser catadora a tornaria tão vulnerável a ponto de ser acusada, perseguida e vítima de violências.

Manwara Begum tem coletado materiais recicláveis de casas residenciais e, através do seu trabalho, mantem a cidade limpa, fornecendo um serviço ambiental e de saúde pública indispensável. Manwara e seu marido são membros de Safai Sena, uma associação registrada de catadores e pequenos comerciantes de recicláveis.

O pesadelo começou no dia 19 de julho de 2013, quando o filho de Manwara Begum, Naseem, de 10 anos, foi brincar num centro comunitário com um grupo de amigos. Naseem  foi, então, abordado por alguns indivíduos que estavam participando de uma cerimônia religiosa e que o acusaram de ter roubado um envelope com dinheiro. Tais indivíduos bateram violentamente na criança e a torturaram com fios elétricos, no centro comunitário. Waseem, o irmão mais velho, de 14 anos, foi procurar o seu irmão, Naseem, e também foi arrastado e assaltado pelos agressores. Os agressores imediatamente informaram a delegacia mais próxima sobre o incidente e os policiais de plantão foram despachados para o local a fim de intervirem e pôr um fim a tamanha injustiça. Em vez disso, eles mostraram o seu lado desumano e ilícito ao se comportarem como meros espectadores do ato cruel. Mais tarde, o marido de Manwara e os seus filhos foram levados à delegacia, onde os policiais os encarceraram em quartos separados. As crianças foram agredidas fisicamente e chutadas brutalmente. Quando Manwara tentou intervir, os policiais a espancaram, também.

Então, Manwara, frustrada e abandonada, procurou Chintan e Safai Sena, organizações que apoiam catadores, as quais recomendaram, como primeiro passo, que providenciasse uma ocorrência policial do referido incidente. O Distrito Policial registrou a ocorrência, mas os policiais insistiram em acusá-la de furto e diziam que a ocorrência seria aceita somente após investigação preliminar. Alguns dias depois, a polícia levou Manwara e os seus filhos à um hospital para fazerem um examemédico. No hospital, os policias conversavam discretamente com com o médico, supostamente com a intenção de mudar o relatório médico.

Enquanto isso, os filhos de Manwara foram mandados à Comissão de Justiça do Menor. Na primeira reunião, as crianças não prestaram testemunho porque a polícia tinha ameaçado a família de morte se alguém abrisse a boca na frente do juiz. Desde então, a polícia os tem ameaçado através de visitas ostensivas à sua residência. Mas as crianças agora estão bem mais confiantes e têm conseguido falar nas reuniões subsequentes com a Comissão.

O caso tem deixado Manwara num estado de ódio e abandono. Ela diz que mesmo que faça parte de uma das castas mais baixas da sociedade indiana, isso não significa que princípios diferentes de justiça devam ser aplicados ao seu caso. Na busca de justiça, que é um o direito de Manwara, Safai Sena escreveu cartas ao Ministro da Saúde e Bem-Estar da Família de Delhi, ao Ministério da Mulher e da Criança, ao governo federal, e à presidente da Comissão para as Mulheres.

Além de cartas enviadas às autoridades competentes, em 26 de julho de 2013, membros da Safai Sena, acompanharam Manwara e seu marido para exigir uma audiência com a presidente da Comissão Para as Mulheres. A presidente aceitou a queixa apresentada por Manwara e confirmou que ações punitivas serão aplicadas contra os policiais que estavam trabalhando naquele dia, se forem julgados culpados. Todos os policiais envolvidos neste caso serão convocados a comparecer perante a Comissão, nos próximos 15 dias, para se dar início à investigação. Ainda no dia 26 de julho, membros da Safai Sena foram à reunião da Unidade Especial da Polícia e apresentaram o caso junto à Comissão Representante da Mulher de Delhi. A comissão reafirmou que ações corretivas serão tomadas contra os culpados nesse incidente.

Este caso tem sido exaustivo e traumático para Manwara e sua família; mas, ela também já aceitou que terá que ser mais vigilante, no futuro, e que essa experiência lhe proporcionou confiança para levantar a sua voz em prol da justiça. Apesar desses esparsos resultados  positivos, o que ocorrera com Manwara é inaceitável e uma violação total dos direitos humanos dos pobres que servem a cidade através de coleta de resíduos sólidos e recicláveis. Torcemos para que a justiça esteja do lado de Manwara e sua família e para que as vozes de milhões de mulheres, em todo mundo, continuem a ser fortalecidas.



  1. Agradecemos enormemente esta información y nos solidarizamos con Manwara Begum, su familia y Safai Sena, su organización de base. Estaremos pensando que acción podemos realizar para pedir justicia.

    Saludos fraternales.

    Alicia Montoya
    Resp.Equipo Técnico
    Cooperativa de Recuperadores Urbanos
    El Alamo

    Comentário by Alicia Montoya — setembro 11, 2013 @ 12:26 pm

  2. Isso mostra o quanto a luta dos catadores ainda é árdua e pesada e é triste ver e saber que companheiros ainda são discriminados. Valeu a informação. Abraços!

    Gilberto Warley Chagas

    Comentário by Gilberto Warley Chagas — setembro 11, 2013 @ 12:26 pm

  3. Hola,

    Conciente estamos de que quienes buscanen los vertederos o hacen su recoleccion no son ladrones, si no mas personas que tratan de ganarse la vida de la mejor manera y como ellos lo saben hacer.

    El trabajo del buzo-reciclador es una labor ardua y peligrosa, esoso hermanos enfrentan la muerte diariamente y las autoridades no hacen nada para ayudarlo.

    Desde aqui poyemos a la familias de Safai Sena, en dheli- india, reenviando el apoyo moral a cuanta personas conozcamos, para que este reclamos de respecto a los recicladores llegue a las autoridades de la India.

    Nicolas Mendoza

    Comentário by Nicolas Mendoza — setembro 11, 2013 @ 12:27 pm