ALIANÇA GLOBAL DE  CATADORES
ALIANÇA GLOBAL DE
CATADORES
A Aliança Global de Catadores é um processo de articulação entre milhares de organizações de catadores de materiais recicláveis apoiado pela WIEGO em mais de 28 países cobrindo principalmente América Latina, Ásia e África.
Apoiado por Logo WIEGO

publicado por
Escrito por Instituto Nenuca de Desenvolvimento Sustentável

Região

País Brazil

agosto 21, 2014


Verifique a tradução:
II Seminário nacional rotas tecnológicas para gestão de resíduos com a reciclagem popular
Escrito por Instituto Nenuca de Desenvolvimento Sustentável. Insea.org.br. 08/21/2014

Insea-flyer

As cidades brasileiras têm o desafio de encontrar formas criativas e eficazes para a gestão dos resíduos com foco no desenvolvimento socioambiental sustentável. Pauta permanente dos gestores públicos e da sociedade – é possível que o lixo urbano gerado deixe de ser problema e transforme-se em soluções ambientalmente corretas. Apresentando possibilidades e contribuindo com as gestões municipais, o Observatório da Reciclagem Inclusiva e Solidária (ORIS) realiza o II SEMINÁRIO NACIONAL ROTAS TECNOLÓGICAS PARA A GESTÃO DE RESÍDUOS COM A RECICLAGEM POPULAR. O evento tem participação de pesquisadores nacionais e internacionais, catadores de materiais recicláveis, ambientalistas, gestores, técnicos e interessados na temática. As atividades acontecem nos dias 16 e 17 de setembro no Auditório da Escola de Engenharia da UFMG à Av. Antônio Carlos 6627 – Pampulha – Belo Horizonte – MG. O Seminário tem o apoio da Fundação Avina.

INSCRIÇÕES

O Seminário Nacional é voltado para catadores de materiais recicláveis, técnicos, pesquisadores, autoridades, estudantes e interessados no tema. As inscrições vão até o dia 10 de setembro, no e-mail: insea@insea.org.br ATENÇÃO: No e-mail, citar no assunto: SEMINÁRIO GESTÃO DE RESÍDUOS. No corpo do e-mail, informar nome completo, fones de contato (celular e fixo) e instituição.

Informações: (31) 3295.7270 (falar com Letícia Gonçalves) ou pelo e-mail: insea@insea.org.br

EM DESTAQUE

Nesta 2ª edição, o II SEMINÁRIO NACIONAL ROTAS TECNOLÓGICAS PARA A GESTÃO DE RESÍDUOS traz, a Belo Horizonte, o especialista PhD americano Paul Connet. Ele é diretor-executivo do American Environental Healh Studies Projetc (Projeto Norte –Americano de Estudos sobre Saúde Ambiental). Connett é professor emérito de Química Ambiental da Universidade St. Lawrence, em Canton, Nova Iorque (E.U.A.). Os 49 (quarenta e nove) anos de pesquisa no campo da gestão de resíduos nos Estados Unidos e mais 7 províncias do Canadá e 60 outros países resultaram na publicação do livro “A Solução Desperdício Zero” (Chelsea Verde, 2013). Nos últimos 30 anos, colocou o conhecimento científico ao trabalho, ajudando (sem taxa) comunidades de todo o mundo a compreender a ciência de questões controversas como a incineração e fluoretação. Além de explicar os perigos de tais práticas que oferece.

Também participa dos debates, a holandesa Anne Scheinberg, que é pesquisadora da Organização das Nações Unidas para a educação, a ciência e a cultura (UNESCO). Anne Scheinberg tem 30 anos de atividade profissional na gestão de resíduos e reciclagem na América do Norte, Europa, incluindo Europa Ocidental e nos Balcãs, África, América Latina. Suas áreas de especialização incluem a gestão formal e informal resíduos setor (reciclagem; compostagem; microprivatização; contratação e franchising; modelos de serviços ambientais; parcerias com a comunidade; sistemas de gestão ambiental; análise de gênero; boa governança, questões de participação do setor privado, autarquias locais e sociedade civil . Atualmente, ela trabalha no doutorado em Política Ambiental.

O evento conta com o pesquisador inglês David Lerpenieri da Universidade de Leeds (Reino Unido – ) e Consultor, Ricardo- AEA. É membro do Grupo de Trabalho em Resíduos e Mudanças Climáticas da Solid Waste Association (ISWA) e gestor de resíduos ambientais certificados, e é membro do World Resources Institute no Grupo de Trabalho de desenvolvimento de políticas de mitigação de GEEs e orientação de avaliação ao setor de resíduos.

EM DEBATE

A busca de soluções para o processo de gerenciamento dos resíduos gerados existe. Cabe comprometimento com um modelo que promova a qualidade de vida, atenção aos conceitos de sustentabilidade e não agressão ao meio ambiente e à saúde pública. As respostas encontram eco na Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), que estabelece uma agenda de corresponsabilidade para que as administrações públicas.

O Seminário Nacional traz análises e alternativas tecnológicas para tratamento dos resíduos sólidos, que constituem importantes para equacionar a questão do lixo gerado. A PNRS estabelece os princípios de visão sistêmica na gestão dos resíduos sólidos, que considera as variáveis ambiental, social, cultural, econômica, tecnológica e saúde pública” (PNRS, 2010, Art 6º, § I)

A problemática do lixo urbano tem sua referência nas diretrizes da PNRS – Lei Federal 12.305/2010. Nela, todas as administrações públicas precisam implantar os seus Planos Municipais Gestão de Resíduos Sólidos (PMGRS).

O OBSERVATÓRIO

Integram o Observatório da Reciclagem Inclusiva e Solidária (ORIS): o Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis (MNCR), o Instituto Nenuca de Desenvolvimento Sustentável (Insea), o Instituto Sustentar, o Centro Nacional de Defesa dos Direitos Humanos da População de Rua e Catadores de Materiais Recicláveis (CNDDH), a Cooperativa Central da Reciclagem Solidária dos Trabalhadores de Minas Gerais (Rede Sol), a Cooperativa de Reciclagem dos Catadores da Rede de Economia Solidária (Rede Cataunidos), a Organização Não Governamental Mulheres no Emprego Informal: Globalizando e Organizando (WIEGO), a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)/ Núcleo de Estudos e Gestão Pública (NEGP) e Banco do Brasil – Desenvolvimento Regional Sustentável (DRS).

Matéria produzida por Antônio Coquito, jornalista e assessor de comunicação do INSEA.

SERVIÇO:

II SEMINÁRIO ROTAS TECNOLÓGICAS PARA A GESTÃO DE RESÍDUOS COM A RECICLAGEM POPULAR

Dias: 16 e 17 de setembro de 2014

Local: Auditório da Escola de Engenharia da UFMG

Endereço: Av. Antônio Carlos 6627 – Pampulha – Belo Horizonte – MG

Informações: (31) 3295.7270 (falar com Letícia Gonçalves) ou pelo e-mail: insea@insea.org.br

PROGRAMAÇÃO

DIA 16 DE SETEMBRO ( TERÇA-FEIRA)
08 h: CREDENCIAMENTO
09 h: SOLENIDADE DE ACOLHIDA
10 h: CONFERÊNCIA DE ABERTURA: “OS ERROS E SUCESSOS DA GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS NO MUNDO NA CONSTRUÇÃO DE UMA SOCIEDADE SUSTENTÁVEL”

Conferencista convidado: Dr. PAUL CONNETT – EUA, especialista PhD, é Professor Emérito de Química Ambiental da Universidade de St. Lawrence, em Canton, Nova Yorque. Diretor-executivo do Projeto Norte–Americano de Estudos sobre Saúde Ambiental. Durante mais de quarenta anos de pesquisa no campo da gestão de resíduos nos Estados Unidos e mais 7 províncias do Canadá e 60 outros países resultaram na publicação do livro “A Solução Desperdício Zero” (Chelsea Verde, 2013). Nos últimos 30 anos, colocou o conhecimento científico ao trabalho, ajudando comunidades de todo o mundo a compreender a ciência de questões controversas como a incineração e fluoretação. Além de explicar os perigos de tais práticas que oferece. É um dos principais líderes ambientalista do mundo.

10h 40 min: MESA DE DEBATES COM CONVIDADOS DO MINISTÉRIO PÚBLICO, GOVERNO DE MINAS, GESTORES MUNICIPAIS, MNCR E PÚBLICO PRESENTE.

Mediação: Dra. Sonia Dias – Integrante do Observatório da Reciclagem Inclusiva e Solidária (ORIS) e representante da Organização Não Governamental Mulheres no Emprego Informal: Globalizando e Organizando (WIEGO).

12h 40 min: ALMOÇO

14h 30 min: PAINEL TEMÁTICO I: “NOVOS PARADIGMAS DA GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS: PROMOVENDO A RECICLAGEM INCLUSIVA”

EXPOSIÇÃO 1 – RECICLAGEM SUSTENTÁVEL E INCLUSIVA NA MODERNIZAÇÃO DOS SISTEMAS DE GESTÃO DE RESÍDUOS.

Convidada: Dra. Anne Scheinberg – EUA/Holanda – Pesquisadora da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO). Atua profissionalmente há mais de 30 anos na gestão de resíduos e reciclagem na América do Norte, Europa, incluindo Europa Ocidental e nos Balcãs, África, América Latina. Suas áreas de especialização incluem a gestão formal e informal de resíduos no setor reciclagem; compostagem; microprivatização; contratação e franchising; modelos de serviços ambientais; parcerias com a comunidade; sistemas de gestão ambiental; análise de gênero; boa governança, questões de participação do setor privado, autarquias locais e sociedade civil. Atualmente, ela trabalha no doutorado em Política Ambiental.

Exposição 2: GESTÃO DE RESÍDUOS E MUDANÇAS CLIMÁTICAS – IMPLICAÇÕES E OPORTUNIDADES

Convidado: David Lerpenire – Inglaterra – Formado em Ciências da Terra na Universidade de Oxford, ambientalista, fez Mestrado em Gestão Ambiental no Imperial College de Londres e é doutorando da Universidade de Leeds/Reino Unido, avaliando a efetividade do apoio internacional na melhoria da gestão de resíduos em países de pequena e média renda. Trabalhou em diversos projetos e iniciativas ambientais na Europa e em outros continentes dando suporte a inúmeras autoridades locais das áreas de desenvolvimento de infraestrutura e gestão de resíduos, revisitando metodologias de inventário de produção de gases efeito estufa (GEE) para o governo do Reino Unido e realizando pesquisa técnica para a Agência de Proteção ao Meio Ambiente dos Estados Unidos no setor políticas de mitigação de GEE.

Exposição 3 – A CONSTRUÇÃO DE UM MODELO BRASILEIRO DE RECICLAGEM POPULAR A PARTIR DO COOPERATIVISMO SOLIDÁRIO.

Convidado: Roberto Laureano da Rocha – Brasil- Catador de materiais recicláveis do município de Poá-SP. Atua como um dos líderes nacional do MNCR – Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis, contribuindo com a categoria na efetivação dos direitos e formulação de políticas públicas de valorização e reconhecimento pelos serviços prestados, na mediação do diálogo com os lideres do MNCR em nível nacional, com os governos e iniciativa privada. É um dos coordenadores da Expocatador, da rede CATASAMPA e membro do CONAMA – Conselho Nacional de Meio Ambiente.

Mediação: Aurora Pederzoli – Engenheira arquiteta, chefe do Departamento de Programas Especiais da Superintendência de Limpeza Urbana (SLU) da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH).

16 h – DEBATE COM OS PARTICIPANTES

17 h – COFFE-BREACK

17h 30min – ENCERRAMENTO

DIA 17 DE SETEMBRO (QUARTA FEIRA)

08h 30 min.: ABERTURA

09 h– PAINEL TEMÁTICO II:”PROMOVENDO A RECICLAGEM DE RESÍDUOS ORGÂNICOS NO BRASIL PRÁTICAS E DESAFIOS”

Exposição – VANTAGENS E DESVANTAGENS ECONÔMICAS E AMBIENTAIS DA RECICLAGEM DE ORGÂNICOS NO BRASIL (RECICLAGEM x ATERRAMENTOS x APROVEITAMENTOS ENÉRGICOS)

Convidado: Ruy Barros – Brasil

PAINEL DE EXPERIÊNCIAS:

– DESAFIOS PARA A CONSTRUÇÃO DE UMA ROTA TECNOLÓGICA DE RECICLAGEM DE RESÍDUOS ORGÂNICOS NOS MUNICÍPIOS DA BAIXADA SANTISTA –SP.

Convidado: Clauber Leite – Instituto Pólis-SP.

– A COMPOSTAGEM NO PROGRAMA LIXO ZERO DA PREFEITURA DE SÃO PAULO.

Convidado: – Autoridade Municipal de Limpeza Urbana – AMLURB

– O MODELO DE GESTÃO COMUNITÁRIA DE RESÍDUOS ORGÂNICOS – O Caso da revolução dos Baldinhos.

Convidado: Marcos José de Abreu – CEPAGRO/SC

– TECNOLOGIAS PARA TRATAMENTO DE ORGÂNICOS – BIODIGESTÃO

Convidado: Carlo Vendrix – Gerente de Contrato e Núcleo de Meio Ambiente e Energia da Kuttner do Brasil

Mediação: Jacqueline Rutkowski – Engenheira mecânica, doutora em engenharia de produção, desenvolve pesquisas e é consultora em sustentabilidade. Integra o Instituto Sustentar e ORIS.

11:00 – DEBATE COM O PÚBLICO

12:30 – ALMOÇO

14:00 – OFICINA “COMO AVANÇAR NA IMPLEMENTAÇÃO DA RECICLAGEM DE ORGÂNICOS NOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS?

DISCUSSÃO EM GRUPOS

Participantes são divididos em cinco grupos, cada um discute cada um dos temas:

Desafios para os gestores públicos
Formação e capacitação técnica
Logística
Participação das cooperativas de catadores
Educação ambiental e mobilização social.
15 h: APRESENTAÇÃO DAS DISCUSSÕES FEITAS NOS GRUPOS DE TRABALHO E DEBATE

ESCLARECIMENTOS SOBRE AS PROPOSTAS

DISCUSSÃO E DELIBERAÇÃO DE ENCAMINHAMENTOS FUTUROS.

16 h 30 min – SOLENIDADE DE ENCERRAMENTO E COOFE-BREAK